Demias Aaron

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Demias Aaron

Mensagem por leonirisos em Dom Jul 12, 2015 12:21 am

Abertura




________________________________________________________________________________________________________________________________________


25/12/1933

- Senhor Demias, - dizia um homem de meia idade, usando um fraque de cores padrões e um pequeno broche no lado esquerdo de seu peito que carregava o símbolo da família de seus senhores, sem um pelo em sua face sequer, exceto suas sobrancelhas e um bigode que, por sinal, foram trabalhados mais cedo naquele dia, como de costume, de nome Joseph, um dos novos mordomos da família Aaron, para Demias, filho mais novo de sua família - peço licença por abrir entrar no seu quarto e desculpas por abrir sua porta, vejo que está meio cedo e creio que esse não seja o momento mais oportuno para isso, mas venho lhe entregar esta carta, destinada de... - o mordomo acabara de abrir a porta após as duas batidas clássicas, repetida duas vezes, que não foram respondidas e retirava um envelope branco e simples de um dos bolsos de seu fraque. Observou por alguns poucos segundos quem exatamente enviara a carta, com muito entusiasmo e alegria disse: - ECG-Tracen. Creio que seja referente à sua matricula, senhor. Neste momento o mordomo se direcionava com muita calma, aparentemente tentando não despertar totalmente seu senhor, afinal, o horário em que Demias deveria acordar seria duas horas mais tarde. Deixou a carta nas mãos de Demias, que ainda estava em sua cama, envolto de alguns cobertores. Após ter cumprido seu trabalho, Joseph fez um sinal de reverência enquanto ia virando suas costas, e retornou, para dizer algo que quase se esquecera:- Senhor Demias, seus pais pediram que lhe avisasse que não estarão presentes nos próximos dias pois tiveram que realizar uma viagem de negócios de importância extrema e improvisada. Mas tenho recursos o suficiente e tudo o que o senhor possa vir a precisar nos próximos dias. A propósito, seus pais estão ao norte do continente, caso precise  realizar uma ligação, peça o número de discagem para mim

Ao analisar a carta mais de perto, podia ser visto que, do lado de fora, apenas um selo dos correios, em tinta preta, estava presente com as palavras "ECG-T, Tracen, Rua principal, 234". Enquanto por dentro podia ser lido uma mensagem, curta e objetiva.

Para Demias Aaron, aluno (a) matriculado (a) na ECG-T.

Primeiramente gostaríamos de parabenizá-lo (a) pela sua futura estadia na ECG, e esperamos que utilize da melhor forma possível as ferramentas e possibilidades de evolução que serão encontradas aqui. Antes de mais delongas, aqui segue as regras básicas de nossa instituição.

- Qualquer tipo de droga é proibida dentro de qualquer um de nossos domínios. Jogos de azar e apostas também o são;
- Armas de fogo, branca e/ou qualquer tipo de objeto que possua grande potencial de ferimento aos alunos serão confiscados no primeiro dia de apresentação. Cópias mais inofensivas serão entregues para que utilize, única e exclusivamente, nos centros de treinamento;
- Brigas, confusões e intrigas não são permitidas. Caso alguma delas seja direcionado à algum profissional de nossa instituição, em qualquer lugar, voz de prisão será declarada;
- Você deve comparecer no sexto dia do mês de Janeiro, no período matutino no pátio da ECG-T, o endereço está no verso desta carta;
- A primeira semana servirá apenas para que você conheça mais a instituição, os alunos, professores e demais locais aos arredores;
- Após isso todos os alunos serão lecionados nos ensinamentos básicos de conhecimento e nas mais variadas aplicações dos mesmos. São dois períodos anuais, com duas semanas de folga entre eles. Sinta-se livre para se ausentar, ou não dos aposentos da instituição;
- Todos os dias às 6h00min da manhã é feito a declaração de honra no pátio da instituição. A partir das 19h00min nenhum aluno pode adentrar a instituição;
- Vocês serão avaliados em todos os campos possíveis, imagináveis e inimagináveis.


De resto, lhe desejamos boa sorte. Se dedique.


Marco Solitude
Diretor da ECG-T


Última edição por leonirisos em Dom Jul 12, 2015 8:27 am, editado 1 vez(es)
avatar
leonirisos
Admin

Mensagens : 109
Data de inscrição : 10/07/2015
Idade : 25

Ver perfil do usuário http://rpg-fma.rpggameplay.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

... #1

Mensagem por Demias em Seg Jul 13, 2015 10:40 am

Demias ainda estava dormindo, porém logo viria a ser acordado pelos dois toques costumeiros de Joseph, seu mordomo. Sequer levantou da cama, apenas disse de onde estava - Entre Joseph! Ele entra e em mãos tem uma carta, e então a entrega a Demias que estende a mão vagarosamente pelos cobertores. - Obrigado. O mordomo, bem vestido, fala mais algumas coisas que Demias sequer tenta entender, em resposta balbucia algumas palavras quase que também sequer faz esforço pra isso, ainda eram cinco da manhã, ele não estava realmente acordado. O mordomo faz uma reverência, se vira e saí. Demias joga a carta no chão, sem sequer olhar para ela, após a saída de Joseph. "Droga, não consigo voltar a dormir. Que seja, levantarei." De forma quase que cômica e vagarosa ele se contorceu até conseguir se levantar, se despiu e foi ao banheiro, alguns bons minutos depois, foi ainda pingando ao seu armário e escolheu o seu padrão terno formal, sempre usara roupas formais por costume desde pequeno, então escolheu o terno, e os sapatos 'para ficar em casa' que ainda sim eram formais. Puxou uma gaveta que estava lotada, abarrotada de maços de cigarros Komim, marca conhecida, pegou um dos maços e um esqueiro que tinha em cima da estante, os pôs no bolso do terno. - Ah, quase me esquecia, a carta... ECG-T? Sério? Aquele velho maldito sequer sabe disfarçar que usou seu dinheiro para me por numa cidade melhor? Logo a Central? Que seja. Leu tudo, inclusive as regras, que o deixaram deveras com raiva. - Sem cigarros? Sem minhas espadas? Eles vão me dar espadas de madeira?... "Vou arranjar cigarros por lá, não dá pra ficar sem." Desceu as escadas, com o cabelo ainda encharcado, Demias era uma mistura de formal e informal, sem sentido. - Bom dia, Joseph! Disse ele sem muito ânimo, mas com um sorriso na cara. Puxou o maço de cigarros e o esqueiro do bolso, tirou um e o ascendeu, com o cigarro no canto da boca disse a Joseph - Sabia que não posso levar meus cigarros pra ECG? E complementou - Sequer minhas espadas poderão entrar, terei que treinar com alguma coisa sem fio? Como posso cortar alguém com algo sem fio? Embora não tivesse tanto apreço por machucar as pessoas, era algo que fazia com facilidade. Saiu, olhou o jardim, pigarreou duas vezes e lembrou "Não tinha nada sobre a data de inicio das aulas... Droga", - Joseph, sabe quando as aulas da ECG começam?
avatar
Demias

Mensagens : 4
Data de inscrição : 12/07/2015

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Demias Aaron

Mensagem por leonirisos em Seg Jul 13, 2015 8:00 pm

- Senhor Demias, bom dia, respondia com uma pausa, após citar o nome de seu senhor, o mordomo que agora estava no térreo da casa, enquanto preparava um cômodo para o café da manhã, que estava sendo feito pelas cozinheiras e emanava um cheiro forte e apreciável pela casa toda. O mordomo estava um pouco temeroso, era fácil de se perceber, afinal acabara de acordar seu senhor duas horas mais cedo, estava um pouco apreensivo, com seu rosto e corpo transpassando isso - apesar de Demias não ser sempre maldoso costumava assustar os servos da família Aaron -, o único Aaron presente naquele dia não percebeu, ” Deve estar com muito sono,”, pensou. Joseph não disse nada quando seu senhor reclamou sobre não poder levar seus cigarros para ECG, afinal todos sabiam que aquilo era extremamente prejudicial à saúde do jovem senhor, que fumava incontrolavelmente e recebia críticas todos os dias, mas, aparentemente, não as dava a atenção devida, Joseph preferiu fingir que estava arrumando alguma coisa da mesa, virar de costas e fazer uma cara de negação mesclada com tristeza. Quando seu senhor comentou que não poderia levar suas espadas, e que, na verdade, receberia réplicas de madeira, ficou curioso. Logo após Demias terminar de falar e se direcionar para a varanda, Joseph havia terminado de arrumar a mesa, e foi até a varanda chamar seu senhor para o café da manhã. Teve uma surpresa esperada, uma cena que se repetia quase todos os dias: Demias ia para a varanda e fumava quase, depois de acordar e assim foi. A cena se repetia: Demias estava se espreguiçando e acordando, vagarosamente, enquanto fumava seus cigarros. Joseph ficou à porta, esperando seu senhor se reorganizar, para então chama-lo para servir-lhe o café da manhã. Mas não foi preciso, Demias aparentemente tinha uma dúvida sobre a ECG e sua futura estadia lá. Talvez estava com sono demais para entender o básico, ou não se lembrava. - Senhor Demias, - disse o mordomo, enquanto estava próximo à porta, atrás de Demias - na carta provavelmente consta o dia em que o senhor deve comparecer à ECG-T, que, salvo engano meu, é o sexto dia do mês de janeiro. O mordomo mantinha uma postura ereta, de forma que apenas sua boca se movia, até mesmo seus olhos estavam alinhados e não se moviam. – Creio que o senhor gastará em torno de um dia e meio de viagem até Tracen, de trem, se tudo der certo. Eu posso ir com o senhor caso ache necessário. Seus pais possuem uma casa com servos em Tracen, o endereço é fácil de se encontrar e é bem próxima da ECG de lá. Joseph, que nesse ponto já fora visto por Demias, foi na direção de seu senhor estendendo uma mão com um pequeno pedaço de papel, que continham alguns números de telefone, após entregar disse: – Senhor Demias, o café está pronto, assim que desejar podemos servir-te. Apenas pedimos que não demore, afinal a comida pode esfriar. – Joseph fez uma breve reverência, virou suas costas e foi para a cozinha, em um lugar que conseguia ver exatamente onde Demias estava.
avatar
leonirisos
Admin

Mensagens : 109
Data de inscrição : 10/07/2015
Idade : 25

Ver perfil do usuário http://rpg-fma.rpggameplay.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Demias Aaron

Mensagem por Demias em Seg Jul 13, 2015 9:24 pm

- Não se acanhe Joseph, embora tenha me acordado mais cedo, fico feliz por ter recebido a carta, de certa forma eu estava ansioso, agora além de ansioso estou meio desiludido, sem cigarros, sem espadas de verdade... Decepcionante até. Dizia Demias em um tom que mesclava sarcasmo e desgosto. Ele sempre percebia que ao fumar ou falar em cigarros Joseph se mantinha concentrado na coisa mais próxima a se fazer, quase como se fugisse do assunto. Aaron pega o pequeno pedaço de papel e o põe no bolso direito de sua calça, depois puxa de seu bolso esquerdo a carta, a olha e a olha com atenção. "Não tem nada sobre o maldito dia aqui.", abre de forma exagerada a carta, segura com as duas mãos e levanta mostrando para o mordomo aproximando-se. - Vê? Nada consta, nada diz, nada sobre datas meu caro, mas quem se importa, espero que não esteja errado! Dizia com um sorriso no rosto, a esse ponto já havia acordado totalmente e estava com muita disposição. Enquanto se encaminhava até a mesa dizia em bom tom, - Sobre a casa, me lembro bem dela, acho que posso ir sozinho, ou não, mas prefiro ir sozinho. Chegando a mesa via várias opções, mas o seu preferido, bananas e mel, por mais que fosse alguém com um tipo de vida nada saudável suas comidas preferidas eram frutas e coisas naturais, exceto maça, ele não comeria uma maça nem que sua vida dependesse disso. Ao acabar se vira para Joseph, - Irei treinar, faça os preparativos, por favor, malas e etc. Vou no ultimo trem da tarde. Sei que é repentino, mas o faça.
avatar
Demias

Mensagens : 4
Data de inscrição : 12/07/2015

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Demias Aaron

Mensagem por leonirisos em Qua Jul 15, 2015 2:14 am

- Senhor Demias, – respondeu o mordomo - os preparativos serão feitos... – nesse momento ele fazia um assovio característico dos mordomos da família Aaron, alto, mas não irritante, provavelmente chamando algum empregado que estivesse na cozinha - senhor, quanto ao endereço da casa, se o senhor achar necessário posso lhe dar uma foto da casa com o endereço no verso. Tenha um bom treino, senhor. Levarei água e uma fruta de cestas em breve.
Demias possuía um cômodo, um grande cômodo na verdade, onde costumava realizar seus treinos. Ele possuía em torno de 40x40 metros, com alguns manequins e espelhos em todas as paredes. Demias treinou até o meio da tarde, almoçou as frutas que foram levadas para sua sala depois de poucos minutos, muito rápido, lá mesmo – encostou em um dos manequins que jazia ao chão- e enquanto comia o garoto sentiu um leve desconforto abdominal, e uma pequena tontura, mas acabou passado despercebido, estava tão focado com a sua ida para a capital que não pensava em outras coisas. Após o treinamento, Demias sentiu de um mal estar muito grande no abdômem, seguido de uma tontura que o fez cair ao chão. Na próxima vez que acordaria, Demias se encontrava em uma maca de hospital, em um quarto desconhecido. E isso se repetiria por alguns dias.

02/01/1934

- Doutor, acreio que ele acordou.
- Graças às divindades... Não sei o que faria se um Aaron morresse em minhas mãos
- Graças às divindades e graça...
- De fato, graças ao dinheiro da família Aaron, e aos seus cuidados, senhorita Mireta, depois eu posso lhe retribuir esse favor. Caso assim desejar.
- Quem sabe depois que você assumir nosso relacionamento e me comprar um anel de ouro! Seu tarado!
– dizia a provável senhorita Mireta, com uma voz, digamos, um tanto quanto tarada.

05/01/1934

Tirando o diálogo entre a senhorita Mireta e o tal doutor, a mente de Demias estava carregada de alguns flashs sem sentido e tão rápidos como os flashs disparados pelas câmeras. Mas, finalmente Demias estava consciente e podia sentir seu corpo, ou sua dor mais precisamente. Seu peito doía, como se faltasse alguma coisa e tivesse algo em troca. Foi quando Demias tocou seu peito e sentiu alguns pontos. Nesse momento, olhou ao redor desesperado e pode, pela primeira vez, perceber o que acontecia à sua volta: estava de fato em um hospital, mas o que se via pela janela não se parecia em nada com a cidade de Disa. Parecia mais avançada e mais movimentada. Ao lado da janela pairava Joseph, que pela primeira vez, fora visto por Demias totalmente descomportado. O terno do mordomo estava ao lado dele, no chão, seu corpo, provavelmente, jogador na cadeira, seus cabelos bagunçados e sua barba e bigode por fazer.
avatar
leonirisos
Admin

Mensagens : 109
Data de inscrição : 10/07/2015
Idade : 25

Ver perfil do usuário http://rpg-fma.rpggameplay.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Demias Aaron

Mensagem por Demias em Qua Jul 15, 2015 2:40 am

02/01/1934

Demias acorda com uma dor aguda em seu abdômen, e não passa mais que dois minutos para que durma novamente, entretanto falou apenas uma frase durante seu tempo consciente:
- Joseph! ECG NO DIA 6.

05/01/1934

Demias acorda com muita dor e ao passar a mão pelo local sente algo sobressalente, pontos, isso o desesperou, olhou para fora e não reconhecia nada, não era o hospital de sua cidade, não parecia sequer sua cidade, ele foi tomado por um sentimento de pânico, até que olhou para o lado e viu Joseph todo desleixado dormindo, aquilo foi de certa forma reconfortante, alguém conhecido no meio daquela bagunça que estava sendo acordar em um lugar estranho, então sorriu e ergueu seu braço, e seu indicador aponta para o mordomo, em seguida fez algum esforço que o rendeu um bom sofrimento e por fim fez com que a ponta de seu dedo encoste na face bagunçada do homem que outrora não tinha um pelo na cara e agora tem uma barba rala e por fazer. Sem resposta, Demias começa a se lamentar, - Vamos! Joseph! Joseph, acorde!
avatar
Demias

Mensagens : 4
Data de inscrição : 12/07/2015

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Demias Aaron

Mensagem por leonirisos em Qua Jul 15, 2015 11:55 pm

Após ser chamado, Joseph não demorou mais de meio segundo para acordar, e quando o fez estava desesperado, seus olhos estavam arregalados, cercados por olheiras, e a velocidade que se movera, juntamente com a posição em que se encontrava, o fizeram sentir uma boa dor nas costas. Mas, prontamente, disse, enquanto se endireitava na cadeira e tentava voltar à pose de mordomo: - Senhor Demias, bom dia. Graças às divindades o senhor está bem. Fico extremamente feliz que possa ter voltado tão rapidamente. Senhor Demias, antes de mais nada vou lhe dizer o que aconteceu: aparentemente descobriram, e sofres, agora de uma espécie de asma, uma insuficiência respiratória, logicamente originada em seus pulmões. Provavelmente causada pelos maços de cigarros que o senhor fuma em sua idade, somada com, provavelmente, alguma pré-disposição genética. Mas acalme-se a situação ainda é boa: você pode controlar isso, e até reverter, com o tempo. Mas, para tal feito, é preciso de algumas coisas: ânimo, ímpeto e força de vontade. Caso o senhor tenha sentido seu peito, percebeu que se encontram alguns pontos, que possuem aproximadamente meio palmo, no meio dele. Isso foi coisa dos médicos de Disa, que em uma tentativa desesperada e falha, abriram um pouco de seu peito para averiguar se algo estava atrapalhando sua respiração. Te encontramos desmaiado em sua sala de treinamento, chamamos os paramédicos e viemos para a capital, assim que podíamos. A recuperação de seus pontos será rápida, algo em torno de dois meses para cicatrizar a pele, e um ano para cicatrizar a parte interna. Já seus pulmões precisam de um cuidado melhor, e, se me perdoa, ficar longe dos cigarros. Seus pais ainda se encontram em viagem, mas sabem da sua situação e assim que puderem estarão aqui, inclusive eles ligaram todos os dias para saber da sua real situação, senhor Demias. Quanto à sua entrada na ECG, fique calmo. Amanhã você receberá alta parcial do hospital para voltar à sua rotina normal. Os médicos recomendaram que você vá para a ECG, evite toda e qualquer atividade física e venha todas as noites dormir no hospital.
avatar
leonirisos
Admin

Mensagens : 109
Data de inscrição : 10/07/2015
Idade : 25

Ver perfil do usuário http://rpg-fma.rpggameplay.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Demias Aaron

Mensagem por Demias em Qui Jul 16, 2015 1:07 am

Demias ainda muito perdido em toda aquela situação apenas faz algumas perguntas ao mordomo com uma cara de confuso.
- Hãm... Q-quanto tempo eu dormi?
- Bem, senhor Demias, você desmaiou no dia 25/12, e hoje é... Dia 05/12. Inclusive, feliz ano novo, que as divindades sorriam para ti, como elas vem sorrindo.
- Eu ainda estou... Ainda estou meio perdido... E por favor Joseph, se não vai culpar as  divindades pelo que está acontecendo comigo, não as agradeça, essas coisas ocorreram por descuido meu. Quando vou tirar esses malditos pontos? Me dão agonia.
- Senhor Demias, tenha calma. Com o tempo tudo entrará no ritmo novamente. Creio que o senhor, por não estar acostumado com as divindades, desconhece os caminhos pelos quais nos fazem passar. Mas deixemos isso de lado, temos coisas mais importantes, no momento, para fazer. Sus pontos devem receber cuidados três vezes ao dia, os remédios se encontram em uma mala especial, junto de seus outros pertences, e eles serão retirados juntamente com o processo de cicatrização, provavelmente daqui um mês e meio. Eu ordenei que algum empregado trouxesse alguns de seus pertences importantes, e algumas roupas. Espero que a escolha lhe agrade.
- Certo, desculpe Joseph, fui rude com você, é que eu... Não é um dos meus melhores dias. Quanto a roupas tanto faz, mas e quanto a atividades físicas, eu não posso ficar parado por muito tempo Joseph e lidar com o vício não é fácil, quantos cigarros por dia poderei fumar? Eu vou poder fumar um pouco né?
- Senhor Demias, quanto menos os esforços físicos estiverem presentes nos seus primeiros dias mais rápida será a recuperação, não é decretada a proibição no seu caso, mas é recomendada. Mesmo sabendo que não são parte de seus gostos, trouxe algumas revistas e jogos, para que possamos jogar e ocupar a sua mente, para que o tempo passe mais rápido. Quanto aos cigarros senhor, entenda que eles apenas pioram a sua situação. Mas eu posso lhe apresentar uma solução caso desejares.
- Isso é... Frustrante. Realmente frustrante. Joseph, eu realmente agradeço seu esforço, mas revistas e jogos não me ajudarão em nada, se for para ficar sentado e sem treinar o corpo, tentarei ao menos treinar minha mente, não é de meu agrado mas pelo menos posso tentar aprender algumas táticas ou coisas da escola mesmo, então peço que me traga a maioria de livros que encontrar sobre táticas de guerra, geografia e química, e por zelo meu algum filósofo qualquer para me divertir. A proposito como farei as coisas da ECG no estado, deplorável, que estou?
- Senhor Demias, esses foram exatamente os livros que eu trouxe. Sim, você frequentará a ECG normalmente, livre das aulas físicas, caso algo lhe aconteça a ECG possuí um centro médico igual, ou melhor, ao que o senhor se encontra no momento. E digamos que, na esperança de lhe agradar, trouxe algumas revistas... Adultas, por assim dizer. E como não lhe conheço a muito tempo, estou a pouco tempo em sua casa, não sei exatamente quais são seus gostos, portanto, existem revistas para todos os gostos, se é que o senhor me entende. Espero que não fique aborrecido, senhor.
- HUHUHUHUHUHU Joseph, seu pequeno grande mordomo safado, isso me lembra um pequeno flash de memória da sua conversa com Mireta!
- Senhor Demias, não vejo motivos para sua frase conter alguma lógica, talvez sua cabeça tenha se confundido nos últimos dias. E, de fato a snhorita Mireta é realmente muito formosa, mas ela não me interessa, não no momento. Estou aqui para ceder-lhe seus caprichos, como todo bom mordomo da família Aaron. - após terminar a frase Joseph acariciou o broche que carregava em seu peito com o símbolo da família na qual trabalhava.
- Pera... Hãm... É... Acho que... A um minuto atrás era você na cena mas agora... Não consigo lembrar direito quem era, agora é só um vulto. Droga. Realmente, acho que ainda estou ruim... Bom... Só peço que por hora me traga algo para comer e que vá tomar conta de si homem! Você está acabado! Tanto quanto eu que quase morri! "Ele deve ter ficado muito preocupado mesmo, acho que se eu morresse sob seus cuidados ele teria um grande problema em mãos." - Obrigado Joseph!
- Tudo bem, senhor Demias. Agora que está acordado, e sei que está bem, posso descansar. Estarei na casa que havia lhe dito, o endereço e seus pertences se encontram na portaria, juntamente com um motorista que te levará par aonde quiseres, mas tome cuidado. ( Joseph juntou suas tralhas, desajeitosamente, aparentando estar muito cansado ao andar. E parou na porta, dizendo:) - Senhor Demias, caso não se lembre e interesse, tenho uma solução para lhe ajudar com os cigarros, mas falamos disso noutro dia. Amanhã, quando estarei melhor, preciso dormir muitos poucos para estar com você na escola.
- Tudo bem, falemos disse amanhã, agora só quero comer e por incrível que pareça voltar a me deitar. Até mais Joseph.
Depois disso Demias come o que uma enfermeira lhe traz e volta a dormir, para amanhã, seu primeiro dia na ECG.
avatar
Demias

Mensagens : 4
Data de inscrição : 12/07/2015

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Demias Aaron

Mensagem por leonirisos em Qua Jul 22, 2015 1:38 pm

Se você ainda existe no mundo real e esteja a fim de continuar jogando, entre no RRPG :v
avatar
leonirisos
Admin

Mensagens : 109
Data de inscrição : 10/07/2015
Idade : 25

Ver perfil do usuário http://rpg-fma.rpggameplay.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Demias Aaron

Mensagem por Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum